Eu não tenho um pai rico para bancar minhas viagens, e agora?!?

A pessoa que não viaja por não ter um pai rico não está preparada para viajar por aí. Este tipo de pessoa é a que mais necessita reciclar a alma, fortalecer a mente tomando a vitamina da estrada, porém não pode tomar uma alta dose de viagens longas e distantes porque não fará grandes proveitos de sua jornada.

Viajar de mochila não é só diversão, não é só prazer e conforto, não é luxo e nem ostentação para que você possa postar no instagram. Viajar de mochila é um retiro interno, é um momento de autoconhecimento e para muitos é uma colheita de inspirações para projetos futuros.

717018.TIF

Quando você se vê sozinho em um lugar desconhecido você se encontra, conhece a si mesmo e prova o quanto é capaz de se virar para seguir em frente. Quando você se depara com uma cultura diferente da sua você testa sua tolerância, o quanto você se indigna ou admira é um termômetro que indica o grau de sua compreensão, é importante entender que o que é comum para você é muito estranho para outros povos, você não é um exemplo de como ser correto.

mochileiro-420x315

Viajar é um exercício que exige prática, a princípio o viajante deve conhecer os próprios costumes, entender da raiz do seu povo, ver na sua cidade os costumes antigos que as vezes passam desapercebidos. O mochileiro precisa fazer turismo no seu próprio bairro, olhar nos olhos do seu próprio povo e assim que ele passar a valorizar sua própria sociedade ele estará pronto pra dominar as trilhas do resto do mundo. Quando este souber do valor de um sofá amigo, de um banho gelado, de 12 centavos, de uma fruta no pé, de um banho de chuva, de uma carona em um caminhão sujo e de uma sombra de árvore, aí sim ele vai entender que dinheiro de pai não leva ninguém a lugar nenhum, na verdade só segura a pessoa em um mesmo mundinho.

597x251xPrograma-Milhas-Pequenas-dicas-para-mochileiros.jpg.pagespeed.ic.bG4MThiUJ8

Texto enviado através dos comentários pelo Gabriel Moreira.

Anúncios

Sobre Vagabundo Profissional

“Muitos pensam que sou rico. Outros pensam o contrário. O que ninguém sabe é que minha riqueza é medida em histórias, em experiências e pessoas. Sim, sou rico. Porque viajei o mundo sem um único centavo no bolso. Sim, sou rico. Por causa das pessoas que conheci. Mas acima de tudo, sou rico, por que descobri o verdadeiro significado da vida.” (Fergal Smith)
Esse post foi publicado em O viajante é você.. Bookmark o link permanente.

13 respostas para Eu não tenho um pai rico para bancar minhas viagens, e agora?!?

  1. Cada vez mais eu admiro quem viaja pelo Vagabundo Profissional…..Esse mandou bem em poucas palavras! Parabéns Gabriel Moreira!

  2. Girl without a name disse:

    Será que isso conta levando e consideração que a ”pessoa que não viaja porque nao tem pai rico pra bancar” tem 14 anos e ainda não pode fazer um mochilão? Hhahaha ótimo texto!

    • Moça, eu comecei com 21 anos, quando eu tive a oportunidade de ir a Brasília para um congresso e de lá decidi me separar do grupo pra conhecer Belo Horizonte sozinho. Fui com uma mochila, uma barraca, 80 reais e uma rede. Fiquei uma semana em BH e consegui carona pra voltar.
      Você não precisa começar cedo e muito menos com viagens longas e distantes, ir para a cidade ao lado com o intuito de conhecer coisas novas já conta. Se sua idade dificulta um pouco aproveite ao máximo as viagens que você faz com seus pais, façam com que eles se interessem a conhecer os lugares mais do que se importarem com as compras, e como o texto acima diz, comece conhecendo sua própria cidade, seu próprio povo, sua própria cultura. Veja o quanto pe legal essas festa de igreja, festa junina, churrasco entre amigos, coisas que passam desapercebidas por nós mas que fazem parte da nossa cultura. Praticando isso você vai chegar a maioridade pronta pra fazer as malas, ou a mochila!

      • Gabriel, adorei seu texto e sou perdidamente apaixonada pela arte de viajar, e sim, viajar é ir além de pontos turísticos, é conhecer a si mesmo, conhecer toda uma cultura diferente do seu mundinho e interagir com tudo isso. Porém, é algo muito complicado para mulheres (é claro que não só para mulheres, mas principalmente), infelizmente não podemos apenas pegar uma mochila e ir para a beira da estrada, há muitos riscos em pegar caronas com desconhecidos, em dormir em lugares desconhecidos, em interagir com pessoas desconhecidas quando se está sozinha (que é como gostaria de viajar), é claro que sempre existem pessoas dispostas a te ajudar em viagens, porém é um risco alto. Se você souber de algo que possa me ajudar nesse quesito, por favor, compartilhe 😉

  3. A pior parte é que eu me identifiquei com algumas coisas que não deveria.. Carai, acho que esse texto abriu meus olhos pra algumas coisas que eu nunca tinha pensado sobre.. Ótimo texto, me deixou um pouco chateado mas não deixa de ser um ótimo texto!

    • William, nunca é tarde para fazer aquilo que você já poderia ter feito. Fico feliz por ter despertado algo bom em você, mas não se sinta mal por ter se arrependido, o arrependimento é ótimo, é sinal de mudança, existem pessoas que não se arrependem porque teimam a vida inteira estarem seguindo pelo caminho certo. Quem tem humildade de aceitar os próprios erros dificilmente erra de novo no mesmo ponto. Siga em frente brother, fazendo, errando e aprendendo.

  4. dale jr disse:

    Me identifiquei com esse texto quando mencionou viajar com mochila! Quando me perguntam o que eu faria se eu ganhasse na Mega Sena, eu sempre digo que compraria uma mochila!

    E viajaria o mundo!!

    • Caro Dale. Não precisa ganhar na mega sena. Se você for em um albergue o que você menos vai encontrar lá são milionários. Na estrada você encontra todo tipo de gente, mas o que existe em comum entre eles é ausência de medo pra curtir este mundo qual nós fazemos parte e por conta disso é nosso de direito.
      Eu não tenho muito dinheiro, o pouco que eu juntei dava pra fazer uma viagem para a Europa, mas decidi comprar uma maquina fotográfica, estudei fotografia e deixei a Europa pra depois. Até hoje eu não fui pra Europa, mas minha profissão de fotógrafo me permite ir pra vários outros lugares, sempre com passagem só de ida, e a Europa eu vou deixar pra mais tarde, quando o destino me oferecer uma missão por lá.
      Conheci gente que viajou o mundo cozinhando em navio, pescando em alto mar, representando empresas, limpando pratos, fazendo mágica, jogando bola… eu uso minha máquina fotográfica como passaporte, um dia eu canso e aí quem sabe eu arranjo um emprego chato num escritório ou presto algum concurso pra trabalhar com algo sem sal. Mas enquanto eu tenho energia eu abro mão de segurança financeira, a minha vida de gente grande virá só depois dos 30 e olhe lá.
      E vc? Tem habilidade com o que? Já pensou que seu talento pode te levar pra vários lugares?

      • André Luís disse:

        hahaha, eu com 20 falava que minha vida de adulto iria começar aos 25 que antes iria viajar, depois adiei para os 30, depois para os 35, agora com 38 cheguei a conclusão que para ter a vida de adulto ditada pela sociedade nunca poderia ter começado a viajar, foi uma caixa aberta que não pode ser mais fechada e com o tempo viajando você adquire novos valores que faz aqueles iniciais tão grandes sejam tão pequenos e mesquinhos que você nem liga mais.

  5. Lê Tícia disse:

    O último parágrafo fechou o texto com classe!! Não me canso de ler seu blog ;D Achei bacana seu comentário de como começou a vida de estradeiro… como sempre colocando mais lenha na nossa fogueira da vontade de dar um rolé por esse mundão! Abraço

  6. Parabéns Gabriel, seu texto foi inspirador, acredito que não só para mim como para muitos outros leitores do site! Sempre quis ser livre, mas sempre me senti preso pelas correntes financeiras, e você me mostrou que é possivel livrar-se delas! Muito obrigado!

  7. Pô muito bom mesmo seu texto Gabriel, muito do que vc diz é verdade mesmo, antes eu trabalhava em escritório, ganhava razoavelmente bem e tals, comprava coisas fúteis e me preocupava com os que os outros pensavam e o que afinal eu pensava e queria ? Aí é que tá o pessoal comentando quando é que dá aquele back em que voce dá aquela reviravolta na vida sabe, é vc entra meio que neste estado de reflexão, acho que comigo foi com o Filme “On the road” depois que assisti virei adepto de viagens e virei caroneiro pelo Brasil, agora é possível sim se livrar do sistema financeiro, hoje em dia tenho minhas obrigações pago contas em casa, compro ração pro meu cachorro e pago minha internet e compro comida, trabalho com eventos e ganho em média 50 reais por dia e trabalho em média 3x por semana, juntei minhas economias e tb comprei minha câmera no Paraguay bem mais em conta, hoje em dia trabalho com eventos, planejo minha viagens e estudo fotografia auto de data e espero algum dia viver somente disso, e vc oque está esperando para realizar seu sonhos ? vá atrás deles !!! corra ! Pq só se vive uma vez !!! Grande abraço à todos !!!

Comente no Vagabundo Profissional

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s