Uma viagem de uma vida.

viajante

Uma viagem a qual poderia escrever durante horas a fio, mas ao mesmo tempo, faltam-me palavras para por em extenso que expressam tudo o que vi e senti. Com certeza iam me faltar entendedores e imaginadores por assim dizer.
Foi a primeira, propriamente dita pedindo carona e sozinho, algumas horas de caminhada, mas isso são detalhes. O que realmente foi relevante e marcante foram os cinco dias sem calçados, os pés fazendo o papel das mãos sentindo a grama ainda molhada do orvalho matinal, as fezes endurecidas de algumas vacas despreocupadas em defecar no meio da trilha, a areia mais pura quanto o ambiente que lhe rodeava, a água fria, refrescante e cristalina como um diamante líquido, as pedras servindo como arquibancada para todos se elevarem e assistirem aquele outro mundo que estava em todo o redor, as picadas incessantes e sem importância, senti por várias vezes uma árvore inteira só com os pés, tronco, galhos, folhas e flores. Foram cinco dias sem usar nenhum veículo a não ser minhas próprias pernas! A única fumaça que vi, foi a da fogueira feita para aquecer corpo, alimento e alma, pois como iluminação tínhamos um arco-íris de estrelas sobre a cabeça. Cinco dias sem barulho, era tudo música! O balanço das ondas, o cantar dos pássaros, a roda de violão, as conversas e risadas, tudo soava harmonioso, tudo sem stress, sem preocupações, sem falsos sorrisos. A roda de de música no luar ao redor da fogueira, cercado de toda aquela natureza e das melhores pessoas possíveis, todas as vozes em único canto, excluindo o resto de todos vocês.
Não senti falta, não escutei reclamações e nem comentários sobre a falta de televisão, internet, ou energia. Tínhamos tudo que precisávamos e se duvidar até mais que o necessário. Foram cinco dias de sentimentos! Amor, caridade, harmonia, paz, tranquilidade, honestidade, companheirismo, amizade, felicidade, união, sorrisos e camaradagem, tudo tão forte e verdadeiro que em duas décadas não tinha chegado a sentir tudo isso com tamanha intensidade.
Cheguei a me sentir vivo de verdade, para ir atrás de água eram uns bons 700 metros de trilha, tomar banho mais algumas centenas de metros, até para se higienizar era preciso achar um arbusto carismático, vivi vinte anos morrendo.
Pena que cinco dias passaram-se como cinco segundos e me deixaram querendo que tivessem passado cinco meses, anos…

Texto: Andrey L. Scola

Anúncios

Sobre Vagabundo Profissional

“Muitos pensam que sou rico. Outros pensam o contrário. O que ninguém sabe é que minha riqueza é medida em histórias, em experiências e pessoas. Sim, sou rico. Porque viajei o mundo sem um único centavo no bolso. Sim, sou rico. Por causa das pessoas que conheci. Mas acima de tudo, sou rico, por que descobri o verdadeiro significado da vida.” (Fergal Smith)
Esse post foi publicado em O viajante é você.. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Uma viagem de uma vida.

  1. Gisela disse:

    Que lindo texto…. *-*

  2. Lisiê disse:

    Lindo texto… parabéns pelo blog…adoro!!

Comente no Vagabundo Profissional

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s