Teoria da viagem – Um ótimo motivo para viajar.

Recentemente recebi um vídeo do Marcus e da Dani, um casal que viajou para Bali e Tailândia em 2012. Fiquei tão intrigado com a história do vídeo que resolvi perguntar a eles o porque deles estarem viajando.

Segue abaixo um pouco sobre os sentimentos e razões que levaram a Dani e o Marcus a fazerem o vídeo:
“Somos de Fortaleza, Ceará. Eu me chamo Marcus, tenho 35 anos e trabalho na Caixa Econômica Federal. Minha esposa se chama Dani e tem 33 anos. Ela é advogada e trabalha em um ambiente universitário que dissemina o conhecimento focado na responsabilidade ao ser humano, por meio da prestação de serviços jurídicos gratuitos para a comunidade carente de Fortaleza.
Nossa história é semelhante à de pessoas da classe média que trabalham em bancos ou no meio jurídico. Diariamente somos controlados por diversas regras sociais e muita burocracia. Moldados pelos valores e costumes dessa engenharia social, acabamos por tornar nossas ações repetitivas e mecanizadas em detrimento da boa administração das relações sociais e de trabalho.
Este modelo social nos obriga ao sedentarismo e acaba por reprimir os indivíduos mais sonhadores e de espírito livre.
Dentre alguns dos costumes sociais que nos cercam, um sempre nos incomodou: o de capitalizar todo tempo disponível. Vender um 1/3 das férias para acumular dinheiro, trocar de carro a cada 2 (dois) anos ou investir em um imóvel novo são as opções mais frequentes entre casais da classe média.Temos que escolher entre uma viagem dos sonhos ou a garantia de um futuro com conforto e segurança.
Embora nos preocupemos com o futuro, estamos vivemos o agora. Pensarmos num futuro que pode nem existir nos faz optar por viver intensamente o presente, enquanto o nosso corpo, mente e espírito assim permitirem.
É comum pessoas dos nossos vínculos sociais não compreenderem o “porquê” de estarmos na contramão dessa lógica que permite transformar o tempo em dinheiro.
Mas a energia que nos move é outra.
https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gifO contato com outras culturas nos fizeram perceber que existem valores universais e outras diversas formas de se viver; e mais, que o Mundo real é bem maior do que o que nos cerca.
 As viagens alimentam nossa convicção de que precisamos de menos para viver bem. 
Em nosso cotidiano, existem as válvulas de escape do nosso cubículo urbano que são os prazeres que a cidade pode nos oferecer e o conforto que o dinheiro pode comprar…  Porém, o ambiente que nos estimula a agir continua o mesmo.
Nada mais é novo, e é a repetição das nossas ações que mais nos inquietam.
Não estamos cansados de trabalhar, mas de nos repetir. Repetir as falas, os trajetos, os medos e as aflições; enfim, repetir ações e sensações que já se tornaram partes da robotização humana.
É quando viajamos que resgatamos a nossa liberdade. Nela somos livres para vivermos novas experiências e termos diferentes oportunidades de improvisarmos atos e gestos com o que resta da nossa verdadeira identidade.
Quando éramos crianças, a sensação de descobrir, interagir e maravilhar-se com novos ambientes nos movia. Reagíamos de uma maneira lúdica a novos estímulos.
Quando ficamos adultos perdemos este sentimento de inquietude tão “JUVENIL”?
São estes sentimentos exclusivos dos mais jovens?
Estamos velhos demais ou nos faltam novos estímulos para sermos tão felizes como quando éramos crianças?
Como nossas personalidades reagem a estas novas experiências?
Com a consciência de um adulto e a ludicidade de uma criança, as viagens podem nos responder estas perguntas.
E é essa a mensagem que tentamos sintetizar no vídeo.”
Anúncios

Sobre Vagabundo Profissional

“Muitos pensam que sou rico. Outros pensam o contrário. O que ninguém sabe é que minha riqueza é medida em histórias, em experiências e pessoas. Sim, sou rico. Porque viajei o mundo sem um único centavo no bolso. Sim, sou rico. Por causa das pessoas que conheci. Mas acima de tudo, sou rico, por que descobri o verdadeiro significado da vida.” (Fergal Smith)
Esse post foi publicado em Ócio Criativo. Bookmark o link permanente.

17 respostas para Teoria da viagem – Um ótimo motivo para viajar.

  1. Mariana disse:

    Adorei! Concordo plenamente, por isso eu larguei meu trabalho em um banco em NY para viajar o mundo – para viver AGORA. Parabéns!

  2. Marcos disse:

    Ótimo vídeo e texto. Meus parabéns por irem na contramão da rotina.

  3. Felipe disse:

    Parabéns pelo blog e pela matéria também!
    Não vou descrever os motivos óbvios para viajar, está bem descrito acima.
    Quem viaja sabe como é maravilhoso!
    Grande abraço de um amante por viagens e novas culturas!

    Felipe – http://www.fotosdomundo.com

  4. Dani e Marcus disse:

    Obrigada queridos viajantes! É ótima a sensação de compartilharmos nossos sentimentos, nossas experiências e mesmo não nos conhecendo, trocarmos boas energias. Lembrem-se que toda mudança começa dentro de nós mesmo e que o tempo nos ensina muito. Ensina-nos a sabermos o que a gente não quer; então, o melhor é nos deixarmos sermos livres… É melhor vivermos uma vida imprevisível e cheia de surpresas do que nos fadarmos a vivermos o ciclo da vida (nascer, procriar, envelhecer e morrer) como meros espectadores. Enfim, poderíamos escrever um livro. Temos muito anseios guardados na mente, mas vamos encerrar estas breves linhas agradecendo mais uma vez. Abraços cheios de luz para todos! Dani e Marcus.

  5. Ótimo! Da uma força ver, através dessas palavras, o mesmo anseio morando em outro coração! Pra mim esse texto vem em um momento ótimo e quem sabe, um dia a gente se encontra pela estrada.

    ps: Tem cearense em todo canto! heheheh

  6. nina disse:

    O livro mencionado “Teoria da Viagem” está esgotado no fornecedor. Se alguém estiver sabendo onde encontro, passa a dica? 😉
    Grata.
    Grata pelo texto, o vídeo e a informação.
    # só viagem salva #

  7. Parabéns pelo blog, viajar realmente é fantástico!

    Felipe – http://www.fotosdomundo.com

  8. derraira disse:

    muito bom !! nus faz repensar 😉

  9. José Augusto disse:

    Uma pergunta que podemos nos fazer quando temos que optar entre “ter algo” novo ou “conhecer” algo novo é:
    Quanto tempo a alegria que isso me traz vai durar?
    Um bem material nos dá uma alegria momentânea imensa, mas que logo passa e queremos outra coisa…
    Mas a viagem não… uma viagem ocupa pelo menos mais 100% do tempo além dela, seja planejando ou contando pros amigos na volta. Sem falar na experiência de vida! Hoje não tenho mais dúvidas que prefiro andar com o meu Kazinho 1.0 e conhecer tudo o que puder, a ir de SUV trabalhar e voltar pra casa todos os dias.

  10. Pingback: Viajando entre vulcões e furacões. | Vagabundo Profissional

  11. Luiz Carlos Viana disse:

    Video e texto iradissimo!! Parabens ao casal.. 0/

  12. Fábio Viana disse:

    Parabéns ao casal de conterrâneos pelo belo e inspirador relato e pelo excelente vídeo. Precisamos viver e o conceito imposto pela nossa sociedade atual não permite isso, infelizmente.

  13. Aline disse:

    Casal, parabens!!!
    Por que será que é tão dificil para pessoas que tem valores diferentes simplesmente aceitarem pessoas que pensam como vocês, como eu? Compartilho a forma que vocês veem a vida, mas sou vista muitas vezes como inconsequente, aventureira, irresponsável. Eu e meu marido largamos a vida “socialmente aceita” no Brasil para viver na Australia uma vida muito mais simples e descomplicada. Como vocês lidam com as opiniões adversas, além de respeitar, claro?
    Abraços

  14. Tudo maravilhoso quando se tem um planejamento e suporte financeiro. Fazer por merecer. Parabéns.

  15. Oi Aline tudo bem? Faz tempo que vimos sua postagem e a correria nunca deixava eu me sentar em frente ao computador e responder seu questionamento, Pois bem, muitas pessoas nos chamam de loucos, nossos familiares nos cobram filhos, alguns “colegas” dizem comentários do tipo “fulano viaja o mundo todo e anda em uma carro popular”.. Sabe de uma coisa?Sinceramente, não estamos nenhum pouco preocupados com a opinião das pessoas porque o meu ideal de felicidade não precisa ser exatamente igual ao do outro entende? Acreditamos que as pessoas precisam se respeitarem mais, respeitar os ideais uma das outras e assim nós vamos vivendo, sendo ora felizes, ora menos felizes, mas totalmente conscientes de que tudo o que acontece na nossa vida é resultado de nossas escolhas e não do que outros esperam que nos sejamos. Acreditamos que em razão da nossa passagem pela Terra ser efêmera, nós temos a obrigação de vivermos intensamente e que é melhor acumular experiências do que riquezas porque, ao final, tuuudo vira pó. O maior conselho que podemos dar é seja vc mesma, faça o que vc pode e o que vc quer, porque não deve existir nada mais frustrante nesta vida do que viver uma vida projetada pelos outros e ser infeliz e frustrado. Um grande abraço!!!

    Aos demais, obrigada pelos elogios e comentários.

    By Danielle Garcia.

  16. Parabéns ao casal! Acho maravilhoso esse espirito de liberdade!porque não existe monotonia,rotina,um dia esta aqui outro ali,e assim vai,aproveite enquanto não tem filhos,porque quando eles vierem,vocês estarão preparadissimos e saberão muito bem cria los por ter vivido essa experiencia maravilhosa!

Comente no Vagabundo Profissional

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s