De MilleDuke Por Aí! – Sorocaba/SP à Paraty/RJ

De Sorocaba/SP a Paraty/RJ em um VW Sedan (Fusca) 1961 – 1200 – 6v Original

A tempos tinha o sonho de fazer longas Trips com meu Fusca, por muitas vezes fui desanimado por amigos dizendo que um 1200 original não “aguentaria” longas distancias, que o carro iria voltar de guincho e tal.

Isso de certa forma me incentivou a emplacar o desafio e quando minha namorada topou, foi apenas questão de escolher o local, a data e partir. Logo veio a cabeça porque não Paraty? Lugar bonito, não tão longe e ainda de quebra atravessaria minha primeira divisa de estado com o “MilleDuke”.

936177_156788021159582_1151530967_nComeçamos a ver rotas e como faríamos, decidimos um “bate-volta” no feriado de primeiro de maio, sairíamos logo cedo em direção ao Rio, iríamos pelo interior e voltaríamos pelo litoral, nada mais perfeito pra “testar o carro”.

No dia acordamos logo cedo e fomos ao encontro de nosso destino, Rod. Castelo Branco e Rod. Pres Dutra dois tapetes, concedidas à iniciativa privada e com alguns pedágios pelo caminho não poderia ser diferente, pela estrada começamos a ver as placas indicando Aparecida/SP, como não havia um roteiro definido para nossa viagem resolvemos pegar o acesso e passar para conhecer a maior igreja do pais!

Em Aparecida/SP ficamos impressionados com o tamanho de tudo, a Basílica é enorme, vale a pena conhecer, mas como havíamos dois dias antes ido ao Templo Zu Lai (Cotia/SP), tudo aquilo pareceu um pouco capitalista demais, um espaço comercial imenso, com varias lojinhas, uma praça de alimentação com todos os tipos de comida, muitas pessoas mais 945216_156788051159579_226554595_nimportadas com o “status” de estar lá e com o prazer de gastar seu dinheiro em todos os tipos de suvenir do que propriamente para o aspecto religioso.

Fiquei muito chateado ao estar indo em direção a imagem da Santa e ver várias pessoas subindo a rampa de joelhos, porém quando estávamos saindo vimos uma senhora com dificuldade segurando a cadeira de rodas de uma outra senhora e todos passavam por elas completamente alheios, acho que deveríamos ajudar ou próximo ao invés de nos auto flagelar, Deus ficaria bem mais contente.

Voltamos para o carro e tiramos um cochilo, carregamos o celular no banheiro e saímos de lá para continuarmos nossa viagem, em Guaratinguetá/SP pegamos a Estrada Real sentido Cunha/SP, muitas curvas e uma vista linda, muito verde até chegar a uma cidade no meio das montanhas onde o Fusca pode se sentir em casa, visto que a cidade é considerada a capital dos fuscas, vimos muitos por lá.

A estrada ia bem, encontramos uma linda cachoeira no meio do nada, paramos para algumas fotos e logo continuamos o caminho, chegamos à divisa de estado, a alegria era imensa quase não podíamos acreditar, realmente estávamos no Rio! 922788_156787984492919_1930371831_nMas depois da curva descobrimos que o trecho de Paraty da estrada na verdade é uma Trilha, terra e muitos buracos rodeados de muito verde, valeu muito a pena e quem diria o fusquinha foi muito bem, inclusive deixando carros novos para trás.

Chegada a Paraty foi linda, entramos na cidade pela “parte nova”, que chama assim porque têm só uns 200 anos, porque tinha casas muito lindas. Fomos andando por uma rua que acaba dentro do Centro Histórico, que com varias construções antigas deixa a paisagem fantástica, quase caímos algumas vezes pelo calçamento feito na época da escravidão.

Uma breve aula de historia, até onde li esses calçamentos são origem de um “problema urbano”, visto que os navios quando vinham de Portugal pegar o ouro que vinha de Ouro Preto/MG, viajavam com seus porões cheios de pedras, para evitar que o navio tomba-se, chegando em terras tupiniquins descarregavam as pedras em Paraty/RJ e carregavam com as riquezas, assim esses seixos foram se acumulando e por ordem de algum Barão, que percebeu uma solução para o problema, os escravos começaram a calçar as ruas com esse material.197630_156787921159592_1153419886_n

Paramos para jantar no único restaurante que descrevia em sua entrada que tinha pratos vegetarianos, atendimento bem legal, enquanto esperávamos nossa massa aproveitamos para tomar uma caipirinha feita com uma das cachaças fabricadas por lá mesmo, uma boa pedida para quem passar por lá, o macarrão chegou e estava uma delicia, o prato para uma pessoa alimentava umas três pessoas.

Demos mais uma volta e voltamos para a estrada, como havíamos pensado encaramos a Rio-Santos, uma pena que já havia anoitecido, pois dizem que a vista é linda, seguimos passando por Ubatuba/SP e Caraguatatuba/SP, esta ultima pudemos ver a orla da praia toda iluminada, se não fosse o cansaço teríamos dado uma parada, pois a vista era incrível, seguimos até a Rodovia dos Tamoios, muitas curvas e muito mais verde, mas dessa vez com asfalto.

Chegando na Rod. Ayrton Senna nos demos conta que estava tudo acabando, voltamos a pista lisas e ao velho cinza das grandes cidades, mas ao invés de tristeza a vontade de logo voltar para a estrada nos tomou conta no caminho até a capital283909_156787854492932_1505953646_n.

Qual será a próxima… ?

163561_156787691159615_1356753848_n

Foto: De Milleduke Por Aí

942714_156787731159611_151533118_n

Foto: De Milleduke Por Aí

Anúncios
Esse post foi publicado em Relatos de viagem e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para De MilleDuke Por Aí! – Sorocaba/SP à Paraty/RJ

  1. Na próxima convida os parças

  2. Sandro disse:

    Demais, demais!! Parabéns!

  3. Bia disse:

    na próxima dá um chego em Trindade, é uma vila de Paraty..vale hiper a pena..e parabéns pela viagem.

Comente no Vagabundo Profissional

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s